conteúdo do menu

Acamdoze

conteúdo principal
conteúdo principal

Notícia

Walter Pereira/Assessoria Acamdoze

 

A Associação das Câmaras Municipais da Microrregião Doze (Acamdoze), manifestou na tarde desta sexta-feira (12), durante reunião online, via plataforma zoom, solidariedade aos professores ao se posicionar contrária ao retorno das aulas presenciais nas escolas municipais e estaduais.

Diante do agravamento da pandemia do coronavírus no Paraná, o governo estadual decidiu nesta sexta adiar o retorno às aulas no modelo híbrido, com atividades presenciais, que estava marcado para acontecer na próxima segunda-feira (15). Uma nova data será decidida na semana que vem após avaliações diárias da situação dos hospitais e dos casos de Covid-19.

A vereadora de Campo Mourão, Naiany Bolognesi Hruschka Salvadori,  que tem dois filhos em idade escolar – de 4 anos e um de 9 anos-, defendeu os professores ao afirmar que o retorno das aulas presenciais neste momento é muito arriscado aos profissionais e aos estudantes. “Hoje não consigo concordar com a volta às aulas presenciais. Sou totalmente contra”, frisou.

Os vereadores de Campo Mourão Bina Teixeira e de Engenheiro Beltrão, Valdir Americano, que é o vice-presidente da Acamdoze, também se manifestaram contra o retorno das aulas presenciais.  “Sou contra por entender que estamos vivendo o pior momento da pandemia. Nem leitos de hospital temos”, disse Teixeira.  Já Valdir Americano afirmou que seria um erro muito grande o retorno das atividades escolares no modelo presencial no atual cenário. “Estou com os professores. O Governo do Estado tem que pensar e analisar muito bem sobre o retorno”, frisou.

Da mesma forma defendeu o vereador de Engenheiro Beltrão, Euton Linhares. “É uma judiação quem for contra os professore neste momento pela preocupação deles  com nossos filhos. Não é momento de volta as aulas presenciais Sou a favor da vida”, ressaltou.            

O presidente da Acamdoze, por sua vez, Luiz Tavares Rosa, vereador de Engenheiro Beltrão,  ressaltou que a entidade está solidária aos professores. “Defendemos a vida. Entendemos que o retorno presencial das aulas deveria ocorrer somente com os professores e alunos vacinados. Fora isso seria loucura”, destacou.

 

Vacina

Uma bandeira regional levantada pela Acamdoze, a inclusão de professores e servidores da educação nos grupos prioritários das campanhas de vacinação contra o coronavírus (Covid-19), foi atendida pelo Governo Federal. O presidente Jair Bolsonaro informou ao Supremo Tribunal Federal (STF) ter incluído trabalhadores da área de educação na lista dos serviços essenciais e que vão fazer parte do grupo prioritário de vacinação contra Covid-19 no país.

Em Nota Informativa, a Secretaria de Vigilância em Saúde, do Ministério da Saúde, disse entender que o ambiente de escolas e universidades são potenciais na exposição à infecção por Covid. Citou que, "principalmente no ensino básico, esses profissionais possuem contato com muitos alunos simultaneamente, é de extrema relevância a vacinação dos trabalhadores da educação".

A diretoria da Acamdoze já tinha saído na frente com a reivindicação. Há semanas já tinha solicitado ao Governo do Paraná e cobrado, inclusive, vários deputados federais a demanda. 

GALERIA DE FOTOS